Quinzena das Reminiscências – 7° texto

Em 05.02.2017   Arquivado em PESSOAL

Esse post faz parte do mini projeto “A Bruna que foi um dia e os seus amores“.

O texto de hoje foi escrito quando eu tinha 15 anos. Ele foi dedicado ao meu terceiro “amor”, um rapaz nascido sob o signo de câncer. Ele era músico e, na época, tínhamos a intenção de montar uma banda.

Na verdade, ele é um daqueles textinhos bem bobos. Eu estava apaixonada … aquele tipo de paixão que deixa você meio idiota, sabe? Pois é.

 

Tão rápido…

            Tenho medo. Estremeço só de pensar … em quando você me olha nos olhos e faz mais uma daquelas brincadeiras que só você consegue e eu toda rio pra você. Xingo, faço cara de durona, finjo… mas no fundo me derreto. Não suporto o quanto eu não consigo me concentrar com você por perto, detesto o quanto você me surpreende e me faz sentir bem. Tenho horror do fato de eu ser tremendamente espontânea com você. Respostas tão fáceis, tão fácil ser eu mesma. Mas eu tremo… tremo por que sei que tudo tem um olá e um adeus. Estou me apaixonando tão rápido, enquanto há outras mil garotas querendo você.

Só faça durar. Me beije e não se vá. Seja o o meu, o meu certo.

Você percebe o quanto eu anseio por poder ter você? Deitar na grama e rir outra vez das suas brincadeirinhas ridículas? Chamar de  você de “meu”? Então fuja comigo. Vamos pro mar, sentar envolta de uma fogueira sob um céu estrelado, enquanto eu lhe acompanho ao violão. Mas, por favor, apenas não vá embora. Não me deixe aqui com milhões de imagens de mim e você, de planos e de promessas desfeitas.

Isso pode ser grande! Eu aprendo tanto com você. Estamos aprendendo tanto juntos. Temos tanto para viver. Eu preciso tanto de alguém comigo. Aliás, não de alguém. De você.  Eu sei muito bem o que eu quero: eu te quero. E sei também o que eu não quero: não quero que ninguém mais faça eu me sentir desse modo. Só você.

Tenho tanto que me desculpar, por tudo o que eu disse e por tudo o que pensei … por todas as acusações.
Prometo que hoje à noite, eu vou pedir por nós dois. E mais do que isso – esse é o meu ponto alto de promessas: prometo não desistir de você.

 

  • Váh

    Em 05.02.2017

    “prometo não desistir de você” que fofo!
    Você escreveu esse texto quando tinha 15 anos?? Wow, muito lega!

    http://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

  • Bruna Pezzan

    Em 05.02.2017

    Pois é. No fim, acabei desistindo hahahah
    Mas gosto desse texto. Também acho ele fofo <3 hahah