Resenha: Cidade Dos Etéreos (Ransom Riggs)

Em 22.10.2017   Arquivado em LITERATURA

Sinopse:

Cidade dos etéreos dá sequência ao celebrado O orfanato da srta. Peregrine para crianças peculiares, em que o jovem Jacob Portman, para descobrir a verdade sobre a morte do avô, segue pistas que o levam a um antigo lar para crianças em uma ilha galesa. O orfanato abriga crianças com dons sobrenaturais, protegidas graças à poderosa magia da diretora, a srta. Peregrine.

Neste segundo livro, o grupo de peculiares precisa deter um exército de monstros terríveis, e a srta. Peregrine, única pessoa que pode ajudá-los, está presa no corpo de uma ave. Jacob e seus novos amigos partem rumo a Londres, cidade onde os peculiares se concentram. Eles têm a esperança de, lá, encontrar uma cura para a amada srta. Peregrine, mas, na cidade devastada pela guerra, surpresas ameaçadoras estão à espreita em cada esquina. E, além de levar as crianças a um lugar seguro, Jacob terá que tomar uma decisão importante quanto a seu amor por Emma, uma das peculiares.

Telecinesia e viagens no tempo, ciganos e atrações de circo, malignos seres invisíveis e um desfile de animais inusitados, além de uma inédita coleção de fotografias de época — tudo isso se combina para fazer de Cidade dos etéreos uma história de fantasia comovente, uma experiência de leitura única e impactante.

O livro Cidade Dos Etéreos se inicia no exato momento em que o livro anterior terminou. As crianças estão em um mini barco, tentando escapar de seus perseguidores, os acólitos.

Quando a fenda temporal da Srta. Peregrine foi destruída (e ela aprisionada na forma de ave),  não restaram muitas opções às crianças – a não ser fugir.

Amedrontados pelo destino de sua amada diretora – que, a cada hora que passa como ave, corre maior risco de nunca mais retornar a sua forma humana –  as crianças decidem buscar ajuda. Apesar dos ataques de acólitos e etéreos ter aumentado, ainda devem existir fendas temporais intactas. Ainda devem existir Ymbrines não capturadas e, portanto, capazes de transformar a Srta. Peregrine na mulher arrebatadora que ela sempre foi. Não, não apenas devem existir … elas precisam existir.

Não podendo permanecer muito tempo no presente  (pois, se permanecessem, envelheceriam muito rápido), as crianças viajam por diferentes fendas temporais e, logo, por diferentes momentos do passado.

É por meio dessas viagens no tempo que aprofundaremos nosso conhecimento sobre o mundo dos peculiares e, mais especificamente, sobre o mundo criado por Ransom Riggs. Cidade dos Etéreos é um livro que, em suma, fala sobre descobertas, sendo estas regadas a um ritmo eletrizante e  bastante animador.

O que eu achei do livro: 

A maior diferença entre o primeiro livro da trilogia, resenhado aqui, e este livro é o ritmo. Conforme explicitado acima, Cidade Dos Etéreos é uma leitura que flui muito bem e de forma rápida. Não vemos o passar de páginas.  No livro anterior, o ritmo era mais moroso e descritivo. Neste livro, pelo contrário, a narrativa se dá de forma mais veloz e tem mais acontecimentos. Gostei bastante disso.

Adorei conhecer outros detalhes sobre o mundo peculiar. Adorei viajar pelas diversas fendas temporais. E gostei muito, inclusive, de ler outras facetas sobre a Londres da Segunda Guerra Mundial.

Enfim, preferi este segundo livro ao primeiro. Foi uma ótima leitura. Eu me diverti em vários momentos, haja vista que Riggs tem um humor negro adorável e que combina (e muito) com o clima do mundo peculiar.

Desnecessário, talvez, dizer … mas, ainda assim, direi: que edição incrível! Capa dura, fonte e diagramação caprichada e fotos maravilhosamente assustadoras (que, é claro, combinam perfeitamente com a narrativa).

Valeu a pena a leitura. Excelente. E vamos, então, ao terceiro livro!

Nome: Cidade Dos Etéreos;

Autor: Ransom Riggs;

Editora: Intrínseca;

Páginas: 384 pág.

  • Váh

    Em 22.10.2017

    Eu assisti ao filme O Orfanato da Srta. Peregrine e gostei bastante!
    Gostei de saber que esse segundo livro é gostoso de ler e flui bem. A história é tão legal e interessante né? 🙂

    https://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

  • Bruna Pezzan

    Em 22.10.2017

    Val, pior que não curti tanto o filme! O livro é muito mais legal, sabe? Daí fiquei decepcionada.

    Você devia ler! O primeiro é bom e o segundo ainda melhor. Tô lendo o terceiro e tô amando também.