Resenha: Os Videntes (Libba Bray)

Em 25.07.2017   Arquivado em LITERATURA

Sinopse:

Evie O’Neil foi exilada de sua entediante e pacata cidade natal e enviada para as agitadas ruas da cidade de Nova York – e ela está maravilhada! Nova York é a cidade do contrabando, das compras e dos monumentais cinemas! Logo Evie está convivendo com as glamorosas garotas Ziegfeld e com afamados batedores de carteira. O único problema é que Evie tem que morar com seu tio Will, curador do Museu Norte-americano de Folclore, Superstição e Ocultismo, também conhecido como Museu dos Insetos Rastejantes. Quando uma série de assassinatos ligados ao ocultismo começam a acontecer, Evie e seu tio se veem em meio a uma investigação policial. E, além de tudo, Evie tem um segredo: um misterioso poder que pode ajudar a capturar o assassino – isso se ele não a pegar primeiro…

 

Evie é uma garota do interior animada e cheia de sonhos. Dona de uma personalidade forte, ela tem atitude e sabe o que quer.

Quando Evie arranja alguns problemas infames na sua cidade natal, a sua mãe resolve manda-la para Nova York, pretendo que a garota more com o estudioso  e sério tio Will e, assim, crie algum juízo. Embora os pais pensem estar castigando a filha, eles, na verdade, estão fazendo exatamente o que ela quer.

A Nova York dos loucos anos 20 é uma cidade agitada e miscigenada: abriga gente de todos os lugares do mundo, possui cabarés esfumaçados e os shows do famoso Ziegfeld. Evie está amando e nem mesmo a seriedade de seu tio Will parece ser páreo para a sua animação.

É nesse diversificado cenário em que a nossa história se passa. Nem tudo são flores em Nova York. Assassinatos brutais também acontecem por lá.

Quando uma série de mortes misteriosas  começa a ocorrer sucessivamente, o tio Will é convocado pela polícia para prestar informações. Como curador do museu de folclore e ocultismo, ele parece ser a única pessoa que consegue compreender a lógica dos assassinatos, haja vista que estes envolvem símbolos ocultistas  e religiosos.

Evie fica horrorizada e, também, instigada com os acontecimentos criminosos. Depois de um pequeno incidente em uma cena de crime, ela percebe que pode ajudar a descobrir a identidade do assassino.

Evie, ainda na adolescência, percebeu que tinha um estranho poder. Se tocar em objetos pessoais, ela consegue descobrir informações acerca do dono do objeto. Consegue ver o passado destes. Ela é uma vidente. E é capaz, com toda a certeza, de capturar o  autor das mortes abomináveis que assolaram Nova York. Ela pode ser a heroína da nossa história.

O que eu achei do livro:

Em primeiro lugar, cabe dizer que ADOREI o fato de este livro ser ambientado nos loucos anos 20. É perceptível que a autora, Libba Bray, fez uma extensa pesquisa sobre essa época para escrever sua história. E ela merece elogios por isso! Em muitos momentos, eu me senti como se estivesse, de fato, na NY de 1920. E isso é, simplesmente, incrível.

Em segundo lugar, cabe falar da personalidade da protagonista, Evie O’ Neil: ela é uma personagem profunda e crível. Você não vai gostar dela todo o tempo. Ela pode ser divertida, mas também inconsequente. E é isso que a faz tão verossímil. De uma forma ou de outra, eu a vi como uma mulher forte e intrépida, ainda que imatura. Acabei por me afeiçoar a ela.

Os outros personagens também são bastante interessantes. Will, Jerícó, Sam, Memphis, Theta e o nosso próprio antagonista (o vilão e assassino) …. todos eles são personagens  verossímeis e bem construídos. E, na minha opinião, é isto o que diferencia uma leitura proveitosa de uma leitura ruim.

No decorrer do livro, nós ficaremos a par de outros videntes além de Evie. Cada um deles possui um dom e uma história de vida diferente.

A história de Os Videntes, na verdade, comporta uma trilogia.  Em razão disto, existe uma trama secundária que envolve esse primeiro livro e o conecta aos demais. É uma pena que no Brasil, por enquanto, apenas o primeiro volume tenha sido traduzido e publicado. Infelizmente,  não existe prazo para a publicação dos demais. E, sim, isso me deixa muito triste, pois não vejo a hora de lê-los.

A única coisa que não me surpreendeu tanto foi, justamente, a identidade e os motivos do assassino. Não achei tão épico e, nem mesmo, tão crível. Porém, acho que isso será melhor desenvolvido no outros dois livros.  Espero.

Apesar disso, eu sinceramente adorei esta leitura. Eu me apeguei à história e aos personagens.

Assim sendo, eu posso dizer com toda a propriedade do mundo: necessito dos outros volumes. Preciso conhecer mais sobre Evie e os outros personagens maravilhosos que povoam essa história.

Nota: 5/6

Nome do livro: Os Videntes;

Autora: Libba Bray;

Editora: ID Editora;

Páginas: 600.

 

  • Váh

    Em 25.07.2017

    A Evie parece ser um personagem bem forte né não?
    E imagina que louco tocar num objeto e saber do passo dele e tudo mais?? Uaal, tem que ter uma personalidade forte mesmo pra lidar com isso hehe.

    http://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

  • Bruna Pezzan

    Em 25.07.2017

    Adorei a Evie como personagem!

    E, sim, deve ser um dom muito louco. Queria ter uma experiência dessas um dia hahahah
    Acho que ia ser super legal <3

  • Váh

    Em 25.07.2017

    Apenas dando aquela passadinha por aqui hehe <3

  • Bruna Pezzan

    Em 25.07.2017

    Adoro quando você passa por aqui <3 <3