Resenha: Para todos os garotos que já amei (Jenny Han)

Em 13.11.2017   Arquivado em LITERATURA

Sinopse: 

Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos.
Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.

Para Todos Os Garotos Que Já Amei conta a história de Lara Jean e de suas cartas de amor/despedida. Cinco ao todo. Cartas que ela não tinha a pretensão de enviar, mas  apenas de escrever.  Quando Lara Jean escreve, ela coloca tudo o que sente no papel.  Escrever é uma forma de se exorcizar. Uma forma de dizer adeus.

Lara Jean é  meio coreana, romântica e bastante tímida. Ela adora fazer colagens, guardar fitinhas e assar doces.

Quando Lara perdeu a mãe aos 10 anos, a irmã Margot cuidou de tudo e assumiu a responsabilidade para com as duas irmãs mais novas –  a própria Lara Jean e, também, a pequena Kitty.

Margot só tinha 12 anos na época. Ainda era, de certa forma, uma criança. Mas sabia que precisava cuidar das irmãs. Afinal de contas, o pai – um ginecologista atarefado –  teria pouco tempo para educar três menininhas sozinho.

No momento em que Lara Jean completa 16 anos, ela sabe tudo está prestes a mudar. A irmã mais velha, Margot, está indo para faculdade – que não é apenas longe de casa, mas em outro país, na Escócia. Logo, Lara  Jean ficará mais solitária e perdida do que nunca.

Ela deverá assumir todas as tarefas de Margot e cuidar de Kitty.  E, para isso, será obrigada a enfrentar alguns medos (como o de dirigir) e superar a timidez.  Como se tudo isso já não fosse o bastante, as cartas secretas de Lara Jean – as cinco cartas de “desamor” – são enviadas misteriosamente para seus destinatários. Alguns estudam no mesmo colégio que ela; outros não. E ela não sabe como vai encará-los no dia seguinte.

É, portanto, tempo de amadurecer.

O que eu achei do livro:

Para Todos Os Garotos Que Já Amei fala sobre crescer, mudar e amadurecer. E tudo isso em uma roupagem adolescente.

Enquanto não enfrentarmos nossos medos, jamais poderemos viver de forma real ou intensa. Eis o grande dilema da personagem principal – uma garota que pensava ter amado muitas vezes, mas que ainda não tinha descoberto o que era gostar de alguém de verdade.

Lara Jean não é uma personagem com quem me identifico muito. Mas isso não me fez gostar menos dela. Consegui compreender, dado o seu contexto de vida  – uma garota que sofreu com perda da mãe e, consequentemente, foi  superprotegida pela família – o comportamento tímido e inocente.

Adorei a narrativa de Jenny Han. Fluida, intimista e doce. Deixou a leitura muito mais prazerosa.

Gostei bastante do livro. Só não o achei excelente pela falta de surpresas. Por ser um livro bastante adolescente – e eu já não estar mais na adolescência – não senti aquela conexão com os acontecimentos, sabe? Apenas não foi surpreendente.

Por essa razão, a nota que dou para este livro é 4/6 – bom.  Pretendo ler os outros volumes da série, porque a escrita de J. Han vale muito a pena. De verdade.

Nome do livro: Para Todos Os Garotos Que Já Amei;

Autora: Jenny Han;

Editora: Intrinseca;

Páginas: 320 páginas.