4 filmes com referências da moda 90s

Em 22.08.2016   Arquivado em LISTINHAS, MODA

É claro que a minha década preferida é os anos 90! Amo tudo nela: os filmes, as músicas, os seriados e, principalmente, a moda.

Eu sempre tento colocar alguma referência noventinha nas roupas e acessórios que uso e, por isso, eu assisto a muitos filmes  e seriados que estrearam nessa época.

Com o intuito de compartilhar com vocês um pouquinho sobre a moda e o comportamento  noventa, eu trouxe quatro filmes cheios de referências! Então, vem 

   

Não tem como pensar em moda dos anos 90 e não lembrar de “Patricinhas de Beverly Hills” (Clueless). Esse filme está, com certeza, na minha listinha sobre o melhor do cinema noventa. Ele traz muita informação sobre os estilos College, Preppy, Girlie e Grunge.

É muito xadrez, muita saia (evasê ou rodada) e muita meia 7/8. Cher (a protagonista) é, sem dúvida,  um dos ícones fashion mais amados por mim 

O filme virou referência de moda noventa. É muito comum você encontrar na internet fotos de meninas usando releituras dos looks que aparecem em “Patricinhas de BH”.

(Se liga nos sapatos boneca de salto grosso )

 

 

O filme “Jovens Bruxas” (The Craft) é outro filme amado por muita gente até hoje.  O senso de estilo de cada personagem ainda é assunto entre as fashionistas e blogueiras de plantão.

“Jovens Bruxas” traz referências de cinco estilos que apareceram bastante na moda noventa: o gótico, o punk, o grunge, o college e o hippie.

As cinco personagens possuem personalidades muito distintas e isso reflete na forma como cada uma se veste.

Nancy é a mais sombria, rebelde e psicótica do grupo. Ela tem sede de poder e não se importa de mostrar essa sua faceta para o mundo. Por isso, as suas roupas são de um gótico e punk extremos. Ela não abre mão, em nenhuma cena do filme, do preto e dos acessórios em forma de Cruz. Acho que a única blusa branca que ela tem é a do uniforme, rs. O batom preto ou vermelho contornado com lápis preto estão sempre presentes, também.

Bonnie, apesar de ser uma entusiasta em bruxaria, não tem a mesma sede de poder que Nancy. Aliás, ela e Rochelle são paus mandados. Desde que consigam aquilo que querem,  são fiéis à líder do grupo (ora, Nancy, ora Sarah). No início, Bonnie tem vergonha do seu corpo marcado por cicatrizes e, por isso, as suas roupas são meio esquisitas e largas. Assim que ela consegue se livrar das cicatrizes, aquele desejo de se provar  vem à tona. Por isso, suas roupas começam a ser mais justas e sexys, com direito à camisas coladas, saias curtas e jaquetas de couro.

Rochelle é, na minha opinião, a mais conectada à natureza. Acho que ela tinha tudo para ser uma pessoa boa- muito mais do que Nancy e Bonnie, aliás.

Ela sofre preconceito por ser negra e é  intimidada, o tempo todo, pela queen B do colégio. No desejo de vingança, ela mete os pés pelas mãos. Mas sofre com isso, sente remorso. Acho que ela poderia ser salva, no final. E as suas roupas refletem exatamente isso: possuem uma pegada mais hippie. Ela mistura acessórios góticos e  punks com roupas hippie. O estilo de uma verdadeira Wicca.

Sarah, no início do filme, aparece em cores super neutras (o vestido claro e listrado). Mas, no meio do filme, ela já está com um cabelo mais rebelde e estiloso. Começa a usar delineador e roupas mais marcantes, mas sem deixar de lado as cores claras. Ela está sempre com um visual iluminado, o que faz muito sentido porque ela permanece bondosa e autêntica.

Da esquerda para a direita: Nancy, Rochelle, Sarah e Bonnie

 O filme “Viva! A babá morreu” (Don’t Tell Mom the Babysitter’s Dead) é um filme pouco conhecido. Uma pena! Porque, apesar do nome tosco, ele é super divertido de assistir e traz muita informação de moda, mas muita mesmo.

Sue Crandell, a protagonista a quem Christina Applegate dá a vida, é apaixonada por moda. Por isso, quando ela precisa desesperadamente de dinheiro, ela falsifica um currículo e se passa por uma mulher de 28 anos (embora seja apenas uma adolescente!) para conseguir um emprego em uma fábrica de roupas.

Os looks que Sue usa são incríveis! Como  filme é de 1991, início da década de 90, você vai encontrar, além da moda noventa, um resquício de moda dos anos 80.

A Christina Applegate é linda demais! E, sério, eu me apaixonei por todas as roupas e acessórios que ela usa. Aposto que você vai amar também! Vale muito a pena ver esse filme se você é apaixonada, como eu, pelos anos 90 (e 80 também).

Ai, ai, comentar sobre esse filme deu até aquela nostalgia… preciso revê-lo logo.

Quem mais se apaixonou por esse colar com pingente em formato de chave?! E esse óculos super retrô?!

E essa blusa amarela com ombreiras?!  E esses broxes de lagartixa (ECA!) ?  Super 80s

Os anos 90, o jeans e as estampas …

Siga o exemplo da Sue! Para um primeiro encontro lacrador: aposte em uma roupa que deixe seus ombros à mostra!

 

E, por fim, chegamos a um dos meus filmes preferidos: “Uma linda Mulher” (Pretty Woman). Já perdi a conta das vezes que o vi.O filme é lindo, tem uma história encantadora e um romance que chega a dar frio na barriga. A química entre Richard Gere e Julia Roberts é única. E, é claro, é um filme que tem muita moda noventa.  Quem não ama aquela cena em que Vivian passeia na Rodeo Drive, a rua com as lojas de roupa mais chiques de Los Angeles, ao som da música “Pretty Woman” ?!

Igual ao filme anterior, este é do início dos anos 90. Por isso, é normal você encontrar resquício de moda oitenta também.

03 filmes para o feriado prolongado :)

Em 26.05.2016   Arquivado em CINEMA

Existe coisa melhor no feriado do que ver filme a tarde inteirinha ?!  Ainda mais quando está um friozinho gostoso (como hoje) ? Eu, particularmente, acho que não. Adoro chamar meus amigos e fazer uma sessão pipoca *-*

Trouxe algumas  dicas de filmes para vocês assistirem nesse feriado prolongado. E digo prolongado porque, para muita gente, FELIZMENTE, o feriado dessa quinta vai emendar com a sexta-feira.

 

SE VOCÊ GOSTA DE ROMANCE…

  1. Muito bem acompanhada (The Wedding Date)

Kate Ellis  não quer ir, de jeito nenhum, desacompanhada no casamento da sua irmã, Amy. Além de ter que aguentar os comentários da família sobre o porquê de ela ainda estar solteira, o seu ex-noivo será um dos padrinhos do casamento.

Por isso, ela resolve contratar um acompanhante (um garoto de programa), chamado Nick. Este deve fingir, para toda a família, ser o namorado de Kate.

 Porém, a única coisa que Kate não esperava era que fosse se apaixonar por Nick. O relacionamento entre os dois, que deveria ser fachada, se torna cada vez mais sério e real.

Esse filme é, sem dúvida, um dos meus romances preferidos. E olha que a lista de romances de que eu gosto é muito longa!

É um filme lindo. As cenas entre Kate e Nick são apaixonantes. É impossível você não pensar: porque não eu? Porque não fui eu quem contratou esse cara?! Eu diria que esse filme é “Uma Linda Mulher” às avessas! haha

E, além de tudo isso, o filme conta com a presença do MARAVILHOSO Dermot Mulroney na pele do personagem Nick. Enfim, se você gosta desse gênero, assista ao filme. Ele está no Netflix.

SE VOCÊ GOSTA DE COMÉDIA…

   2. Você de novo (You Again):

Marni foi, durante toda a sua adolescência, infernizada por Joanna, a “Queen Bee” do colégio.

Ela, entretanto, ao sair do ginásio, se reinventou completamente. Inteligentíssima, ela foi para  Los Angeles e se tornou uma profissional de grande sucesso. 

Em Los Angeles, Marni vive uma vida atarefada. Há muito tempo, ela não  vê a família. Porém, é véspera do casamento do seu irmão e ela precisa, irremediavelmente, visitar sua cidade natal para poder participar da cerimônia.

E qual a surpresa dela ao descobrir que a sua futura cunhada- a noiva de seu irmão- é Joanna, a rainha do colégio, que sempre a tratou como “lixo”? Marni, então, decide que precisa fazer qualquer coisa para impedir que seu irmão se case com sua inimiga nº1.

Esse filme, como a maioria das comédias, é super leve. Ele conta com a presença de Kristen Bell na pele da personagem principal, Marni.

Além de ser engraçado é, ao mesmo tempo, um filme interessante porque nos faz refletir sobre o quanto certas rixas de colégio, apesar de imaturas, deixam cicatrizes em nossas vidas. Ele também nos passa uma mensagem legal: que todos nós, independente de termos sido populares ou não na época do colégio, somos fortes e talentosos. Tudo podemos, se acreditamos em nós mesmos.

Enfim, ri bastante quando vi esse filme e gostei muito da mensagem que ele passou. Ele também está no Netflix.

SE VOCÊ GOSTA DE SUSPENSE…

     3.  As duas faces de um crime (Primal Fear): 

Em Chicago, um arcebispo foi assassinado com 78 facadas. O principal suspeito é um coroinha de 19 anos que foi preso, ao fugir da cena do crime, com roupas cobertas pelo sangue da vítima.  O assassinato, obviamente, por ser violento e cometido contra um importante membro da igreja, choca a todos. Logo, é a principal notícia transmitida pela mídia.

Martin Vail é uma famoso advogado criminalista. Anos antes, foi também promotor de justiça. Mas, desiludido com a corrupção que ocorria entre os funcionários públicos, resolveu mudar de carreira. Ele se tornou um dos mais talentosos  e famosos advogados de Chicago. 

Martin defende qualquer tipo de criminoso. Para ele, toda pessoa merece ser defendida, até porque todos são inocentes até que se comprove o contrário. Logo, o filme também trata de questões éticas.

Martin adora atuar em casos midiáticos, de grande comoção pública. Para ele, estar na mídia e vencer é ainda mais importante do que a contraprestação financeira por seus serviços.  E é por isso mesmo que ele decide atuar como o advogado de defesa de Aron, o coroinha, ainda que este não tenha um único tostão para pagar os honorários. 

Devo dizer que este filme me surpreendeu de muitas formas. O decorrer do filme e o final são inimagináveis.

O filme confunde. Você muda a sua opinião, quanto à Aron ser culpado ou não, a cada meia hora. E isso é bom.

Há neste filme, sem dúvida, um cabo de guerra que, ora, vira os  holofotes para  Richard Gere- ator que interpreta o advogado Martin- ora,  vira os holofotes para Edward Norton -ator que interpreta Aron, o coroinha.

Ambos, Norton e Gere, dão um show de atuação. É um filme que, sem dúvida, vale a pena ver.

Tenho certeza  de que, depois que vocês terminarem de assistir ao filme, irão refletir sobre ele durante muitos dias. Porque ele é, justamente, esse tipo de filme: o tipo inteligente que incomoda e provoca a reflexão.

Este filme também está disponível no Netflix.