5 filmes que se passam no natal

Em 19.12.2016   Arquivado em CINEMA, LISTINHAS

Se existe um período do ano em que eu me sinto mais leve e feliz, é o natal.  Acho o clima natalino a coisa mais gostosa do mundo: as luzes,  os lindos enfeites, o cheiro de panetone e a comunhão familiar tornam tudo muito mais mágico.

Natal, para mim, é sinônimo de esperança, renovação e solidariedade. É um apelo de ajuda ao próximo.

É a época do ano em que caímos mais em nós mesmos. Nos colocamos a pensar a vida e separamos aquilo que é frivolidade daquilo que é necessário. Em suma, o natal é a preparação para o ano novo, um ano que só será novo se o deixarmos ser.

Pensando em todo esse encanto e magia natalina, eu vim aqui hoje com intuito de fazer um post duplo e trazer para vocês duas coisas que eu adoro fazer nessa época do ano: assistir filmes e ouvir músicas que tenham tudo a ver com o natal.

Nesse post, vou indicar cinco filmes de natal e no  outro post (o que está abaixo) vai ter playlist natalina. Então, vem! 🎁🎄🎅

1 – Milagre na Rua 34

 

Esse filme é um clássico do natal. Prefiro essa versão de 1994 (remake do original de 1947), com a Mara Wilson – minha eterna Matilda – no papel da protagonista.

No filme, Susan (Mara Wilson) não acredita que o papai Noel existe. Até que um doce velhinho, contratado para trabalhar na loja de sua mãe,  faz de tudo para provar à garota o contrário.

É um filme fofíssimo que traduz todos os bons sentimentos natalinos.

2 –  Pode me chamar de Noel

Este filme, assim como o primeiro, trabalha com a ideia do verdadeiro papai Noel. O diferencial é que ele traz a Whoopi Goldberg – essa atriz maravilhosa – no papel principal.

Se o filme tem a Whoopi, meu caro, vale a pena assistir. Pode confiar! ✨

3 –  O príncipe e eu

Se você curte contos de fada, vai gostar desse filme.  Aqui,  a doce protagonista Jules, uma plebeia,  se apaixona por um nobre que ostenta um título de príncipe.

A fórmula, portanto, é a mesma dos contos de fada. Entretanto, ainda que o filme seja clichê, ele é divertido e fala sobre a magia do natal. É uma ótima história para você se entreter e se distrair.

Diferencial: possui Sam Heughan – meu eterno James Fraser, de Outlander –  no papel do “príncipe” Ashton. Precisa falar mais? Acho que não, haha.

4 –  O amor Não Tira Férias

É o melhor romance natalino do mundo. Temos duas protagonistas  que estão infelizes e desiludidas com suas vidas – Iris (Kate Winslet) e Amanda (Cameron Diaz). Em um momento de desespero e anseio por mudanças, as duas combinam pela internet de fazer um intercâmbio. Iris irá passar as festas de fim de ano em Los Angeles,  na casa de Amanda, enquanto esta irá a Londres para ficar na casa de Iris.

Se as duas queriam mudanças, estas não faltaram. Iris conhece um músico, Milo (Jack Black), e Amanda se envolve com Graham (Jude Law), o irmão de Iris.

O filme é lindo e, na minha opinião, inteligente no que concerne à relacionamentos. Não é um filme clichê ou irreal.  Pelo contrário, a história é palpável e bastante divertida.

Enfim, vale muitíssimo a pena ver!

5 – Mensagem para você

É um dos meus romances preferidos. Primeiro porque a Meg Ryan – uma das atrizes que mais amo no mundo – contracena com Tom Hanks – meu boy magia dos anos 80.

Meg e Tom é aquele tipo de casal que sempre dá certo quando contracena junto. Não é por acaso que eles atuaram como par romântico em outros filmes (Sintonia do amor, Joe contra o vulcão e Ithaca). A questão é que os dois têm uma química incrível. Por isso, ver filmes com esse casal é sempre uma boa experiência para quem gosta de comédias românticas, assim como eu.

Esse filme não fala propriamente de natal, mas se passa nas festividades de fim de ano. Ele retrata o começo da era digital, quando o e-mail ainda era uma novidade.

A protagonista, Kathleen,  é dona de uma pequena e aconchegante livraria que está falindo, em razão de uma grande companhia de livros ter se mudado para o seu bairro. O que ela não sabe é que o homem com quem ela vem se correspondendo por e-mail (e por quem pode estar começando a se apaixonar), um tal de NY152, é o proprietário da companhia e, portanto, o seu rival nos negócios.

Mensagem para você é um filme divertidíssimo. Com certeza, vou revê-lo essa semana.  💙✨

 

BÔNUS:

Além dos cinco filmes, indico dois desenhos para vocês assistirem nessa semana do natal.

6 – Anastasia

Eu assistir à Anastasia no dia 24 ou 25 de dezembro virou tradição. Não sei muito bem o porquê disso, mas acredito que tenha a ver com o fato de a Globo reprisar com frequência o desenho nesta época do ano.

Eu sei que a história real da família Romanov não tem muita relação com a história desse filme. Aliás, existe uma divergência imensa entre elas.  Mas mesmo assim, não me canso de assistir a esse filminho. Marcou muito minha infância e, depois de A Bela e a Fera, é o meu filme de princesa predileto. Não me canso de cantar “Foi no mês de dezeeeembro”. 

Sabia que este é um dos poucos desenhos com princesas feministas? Ah, me conta, existem muitos filmes por aí em que a donzela salva o “cavalheiro”? Acho que não. Com exceção de A Bela e a Fera e Anastasia, não conheço nenhum outro.

Portanto, amo e indico Anastasia. E é óbvio que dia 24, lá estarei eu, assistindo a esse desenho incrível e  cantando “foi no mês de dezembro”. Isso aí. haha

7 –  O estranho mundo de Jack

Quem duvida que esse seria o natal mais assombroso de todos? Eu é que não duvido. Essa animação é incrível. Aliás, como poderia não ser, tendo a mente geniosa do Tim Burton como diretor ?

Saudades de Sally e Jack. Preciso rever esse filme urgentemente!

 

Gostaram da listinha natalina? Conta tudo 💋

 

 

10 filmes que mostram o quanto as férias de verão podem ser surpreendentes

Em 09.12.2016   Arquivado em CINEMA, LISTINHAS

E o blog, agora, está na vibe “FÉRIAS” ! Eu amo esse período do ano: verão, natal e férias. É o momento perfeito para a gente repensar a vida, fazer aquela viagem inspiradora, colocar a leitura em dia, conhecer gente nova, enfim. É um mundo de possibilidades.

Confesso que eu comecei as minhas férias com muita nostalgia. Quarta – feira, assim que fiz minha última prova da faculdade, sentei no sofá e assisti a um monte de filmes que marcaram minha infância e adolescência. E aí me deu uma vontade imensa de fazer uma listinha cinematográfica super fofa. Sabe aquele filme que lembra, logo de cara, verão e sessão da tarde? Pois é, essa listinha tá recheada de filmes assim!

Por meio dessas histórias, eu aposto que você vai se convencer do quanto as férias de verão podem ser surpreendentes.  Então, vem! ❤️

1) Dirty Dancing

É claro que esse filme não podia ficar de fora. Afinal, é justamente nas maravilhosas férias de verão que Baby conhece os dois amores da sua vida: a dança e Johnny.

Esse filme marcou demais minha adolescência. Não é à toa que, no meu aniversário de 15 anos, eu escolhi a coreografia de (I’ve Had) The Time of My Life para poder dançar. É um filme lindo, lindo e lindo, apenas.

PLUS: Patrick Swayze.

2) Sabrina vai a Roma 

Como não amar Melissa Joan Hart no papel da bruxinha mais atrapalhada do mundo?  Além disso, quem não gostaria de passar umas férias nada humildes em Roma? Todos os caminhos levam a Roma, afinal.

3) Quatro Amigas e Um Jeans Viajante

Esse filme marcou muito minha adolescência. Adorava todas as personagens, embora a que mais tenha ficado no meu coração seja Tibby. Juro que, na época, até fiz umas mechas verdes no cabelo para parecer com ela. Simplesmente, adorava o jeitão rebelde da personagem.

Estou querendo muito ler os livros que inspiraram esse filme, todos escritos pela Ann Brashares. Com certeza, será uma das leituras dessas férias. Alguém aí já leu?

4) Quatro Amigas e um Jeans Viajante 2

Apenas porque não aguentaríamos ficar sem a sequência dessa história, certo? E se prepara: correm sérios boatos – inclusive, já meio confirmados pela Alexis Bledel (intérprete da Lena; minha eterna Rory) de que vem por aí o terceiro filme.

5) Conta comigo

Antes de mais nada, é necessário que se diga: você não pode morrer sem assistir a esse filme. Clássico dos anos 80 e baseado em um conto do grande Stephen King, “The Body” ou, em português,  “O Corpo”  (livro “As quatro estações”), o filme acompanha a trajetória de quatro amigos, de doze anos, em um verão de 1960. Fugindo de famílias disfuncionais e de identidades estigmatizadas socialmente, os quatro partem em uma jornada de autoconhecimento e amadurecimento.

É um clássico, que merece ser lido e visto relido e revisto por todos.

PLUS: terminar o filme cantando ” So, darlin’, darlin’ stand by me … Oh, stand by me

6) Operação Cupido

E já que estamos falando de férias de verão, impossível não pensar em sessão da tarde e, por sua vez, impossível não pensar em um filme chamado “Operação cupido”.  Acho esse filme muito fofo. Para quem não se lembra, as protagonistas se encontram, por um acaso, em um acampamento de verão e descobrem que são gêmeas. Daí fazem de tudo para juntar romanticamente os pais.

PLUS: Lindsey Lohan em dose dupla… Lindsey era a coisa mais fofa quando criança. Hoje, nem tanto.

PLUS 2: se você ama músicas dos anos 90, precisa assistir a esse filme. Ele tem uma trilha sonora incrível. SÉRIO.

7) As namoradas do papai

E já que estamos falando de gêmeas, como  não lembrar das gêmeas mais famosas desse mundo? É claro que tô falando das Olsen.

“It Takes Two” ou, em português , “As namoradas do Papai”, é outro filme que me faz lembrar nostalgicamente das épocas de sessão da tarde. É um filme que amo e que marcou muito minha infância! Aliás, eu amava todos os filmes das Olsen. Mas este e o “Double Double Toil and Trouble” sempre foram os meus favoritos.

A ideia desse filme é muito parecida com a do filme anterior. Exceto que, aqui, as meninas não são gêmeas. Mas sósias perfeitas.  Elas se encontram por acaso. Possuem vidas muito diferentes: enquanto uma, Amanda, é uma órfã pobre, a outra, Alyssa, é filha de um rico empresário. Porém, o plano das duas é praticamente o mesmo: elas decidem trocar de lugar para bancar o cupido, juntando o pai de Alyssa – que está noivo de outra – com a assistente social da órfã Amanda.

O filme extrapola os níveis de fofurice. Amo, amo e amo mais um pouco! haha

8) Férias Frustadas de Verão

Apesar desse filme ter sido lançado em 2009, a história dele se passa no fim dos anos 80. Por isso, tem uma trilha sonora muito boa.

Na história, o protagonista James acabou de se formar na faculdade. Embora tenha planejado passar as férias viajando pela Europa, ele é surpreendido pela notícia de que seus pais estão quebrados. Portanto, nada de viagem. E, para piorar, os pais querem que ele encontre um emprego de verão.

Depois de muitas entrevistas falhas, James consegue, enfim, ser contratado por um parque de diversão,  chamado Adventureland. No início, ele odeia o emprego. Mas, aos poucos, vai se acostumando com o lugar e com os colegas de trabalho. No fim, aquelas férias que tinham tudo para ser a coisa mais chata do mundo, se tornam as melhores de James.

Adventureland mescla drama, romance e comédia. É um filme que, com certeza, demonstra o quanto as férias podem ser surpreendentes e muito melhores do que imaginamos. Afinal, tudo na vida é uma questão de companhia. Se estamos com as pessoas certas, somos felizes.

9) Monte Carlo

Monte Carlo é um filme leve e divertido. Tem paisagens incríveis e fala, acima de tudo, sobre amizade.

No filme, as protagonistas – Grace, Emma e Meg –  vão passar suas férias em Paris. Porém, Grace é confundida com uma espécie de “Socialite” e elas acabam sendo levadas para Monte Carlo. E lá é só glamour. Porém, as coisas complicam quando um colar milionário desaparece e as três precisam recuperá-lo.

Faz muito tempo que vi esse filme. Mas, na época, o achei muito divertido. Adoraria ter as férias divas que essas três garotas tiveram. Paris, Monte Carlo, vestidos lindos e hotéis cinco estrelas… quem nunca quis isso?

PLUS: o filme conta com nomes como Selena Gomez, Leighton Meester (a eterna Blair de Gossip Girl) e Katie Cassidy (atua como Laurel em Arrow).

10) Pequena Miss Sunshine

Adorado por muitos, o filme “Pequena Miss Sunshine” marcou os anos 2000.

Na história, uma família peculiar e bastante problemática recebe a notícia de que a garotinha Olive, a caçula, foi classificada em um concurso chamado “Little Miss Sunshine”. Diante disso, todos viajam, em uma velha kombi amarela (o único automóvel grande o suficiente para levar toda a família), com o intuito de acompanhar a menina na competição.

Nos três dias de viagem, muitas coisas acontecem e os membros família, em meio a dores e descobertas, se veem obrigados a uma reaproximação.

Pequena Miss Sunshine é um filme nada clichê. Tem momentos engraçados, tristes e, também, de reflexão. Em suma, é uma filme icônico que merece ser visto por todas as gerações. Ele nos ensina que as diferenças não são um obstáculo para o amor e a comunhão familiar. Aprendemos que preconceitos devem ser deixados de lado e as divergências devem ceder lugar ao diálogo franco. Ás vezes, na vida, tudo o que precisamos é de uma boa sacudida. E esse filme é perfeito para dar uma.

E, aí … o que acharam da listinha? Conta tudo  ❤ 

Eu estou aproveitando essa primeira semana de férias para rever todos esses filmes. Tô adorando. Espero que vocês tenham gostado também! 💋

 

 

4 filmes com referências da moda 90s

Em 22.08.2016   Arquivado em LISTINHAS, MODA

É claro que a minha década preferida é os anos 90! Amo tudo nela: os filmes, as músicas, os seriados e, principalmente, a moda.

Eu sempre tento colocar alguma referência noventinha nas roupas e acessórios que uso e, por isso, eu assisto a muitos filmes  e seriados que estrearam nessa época.

Com o intuito de compartilhar com vocês um pouquinho sobre a moda e o comportamento  noventa, eu trouxe quatro filmes cheios de referências! Então, vem 

   

Não tem como pensar em moda dos anos 90 e não lembrar de “Patricinhas de Beverly Hills” (Clueless). Esse filme está, com certeza, na minha listinha sobre o melhor do cinema noventa. Ele traz muita informação sobre os estilos College, Preppy, Girlie e Grunge.

É muito xadrez, muita saia (evasê ou rodada) e muita meia 7/8. Cher (a protagonista) é, sem dúvida,  um dos ícones fashion mais amados por mim 

O filme virou referência de moda noventa. É muito comum você encontrar na internet fotos de meninas usando releituras dos looks que aparecem em “Patricinhas de BH”.

(Se liga nos sapatos boneca de salto grosso )

 

 

O filme “Jovens Bruxas” (The Craft) é outro filme amado por muita gente até hoje.  O senso de estilo de cada personagem ainda é assunto entre as fashionistas e blogueiras de plantão.

“Jovens Bruxas” traz referências de cinco estilos que apareceram bastante na moda noventa: o gótico, o punk, o grunge, o college e o hippie.

As cinco personagens possuem personalidades muito distintas e isso reflete na forma como cada uma se veste.

Nancy é a mais sombria, rebelde e psicótica do grupo. Ela tem sede de poder e não se importa de mostrar essa sua faceta para o mundo. Por isso, as suas roupas são de um gótico e punk extremos. Ela não abre mão, em nenhuma cena do filme, do preto e dos acessórios em forma de Cruz. Acho que a única blusa branca que ela tem é a do uniforme, rs. O batom preto ou vermelho contornado com lápis preto estão sempre presentes, também.

Bonnie, apesar de ser uma entusiasta em bruxaria, não tem a mesma sede de poder que Nancy. Aliás, ela e Rochelle são paus mandados. Desde que consigam aquilo que querem,  são fiéis à líder do grupo (ora, Nancy, ora Sarah). No início, Bonnie tem vergonha do seu corpo marcado por cicatrizes e, por isso, as suas roupas são meio esquisitas e largas. Assim que ela consegue se livrar das cicatrizes, aquele desejo de se provar  vem à tona. Por isso, suas roupas começam a ser mais justas e sexys, com direito à camisas coladas, saias curtas e jaquetas de couro.

Rochelle é, na minha opinião, a mais conectada à natureza. Acho que ela tinha tudo para ser uma pessoa boa- muito mais do que Nancy e Bonnie, aliás.

Ela sofre preconceito por ser negra e é  intimidada, o tempo todo, pela queen B do colégio. No desejo de vingança, ela mete os pés pelas mãos. Mas sofre com isso, sente remorso. Acho que ela poderia ser salva, no final. E as suas roupas refletem exatamente isso: possuem uma pegada mais hippie. Ela mistura acessórios góticos e  punks com roupas hippie. O estilo de uma verdadeira Wicca.

Sarah, no início do filme, aparece em cores super neutras (o vestido claro e listrado). Mas, no meio do filme, ela já está com um cabelo mais rebelde e estiloso. Começa a usar delineador e roupas mais marcantes, mas sem deixar de lado as cores claras. Ela está sempre com um visual iluminado, o que faz muito sentido porque ela permanece bondosa e autêntica.

Da esquerda para a direita: Nancy, Rochelle, Sarah e Bonnie

 O filme “Viva! A babá morreu” (Don’t Tell Mom the Babysitter’s Dead) é um filme pouco conhecido. Uma pena! Porque, apesar do nome tosco, ele é super divertido de assistir e traz muita informação de moda, mas muita mesmo.

Sue Crandell, a protagonista a quem Christina Applegate dá a vida, é apaixonada por moda. Por isso, quando ela precisa desesperadamente de dinheiro, ela falsifica um currículo e se passa por uma mulher de 28 anos (embora seja apenas uma adolescente!) para conseguir um emprego em uma fábrica de roupas.

Os looks que Sue usa são incríveis! Como  filme é de 1991, início da década de 90, você vai encontrar, além da moda noventa, um resquício de moda dos anos 80.

A Christina Applegate é linda demais! E, sério, eu me apaixonei por todas as roupas e acessórios que ela usa. Aposto que você vai amar também! Vale muito a pena ver esse filme se você é apaixonada, como eu, pelos anos 90 (e 80 também).

Ai, ai, comentar sobre esse filme deu até aquela nostalgia… preciso revê-lo logo.

Quem mais se apaixonou por esse colar com pingente em formato de chave?! E esse óculos super retrô?!

E essa blusa amarela com ombreiras?!  E esses broxes de lagartixa (ECA!) ?  Super 80s

Os anos 90, o jeans e as estampas …

Siga o exemplo da Sue! Para um primeiro encontro lacrador: aposte em uma roupa que deixe seus ombros à mostra!

 

E, por fim, chegamos a um dos meus filmes preferidos: “Uma linda Mulher” (Pretty Woman). Já perdi a conta das vezes que o vi.O filme é lindo, tem uma história encantadora e um romance que chega a dar frio na barriga. A química entre Richard Gere e Julia Roberts é única. E, é claro, é um filme que tem muita moda noventa.  Quem não ama aquela cena em que Vivian passeia na Rodeo Drive, a rua com as lojas de roupa mais chiques de Los Angeles, ao som da música “Pretty Woman” ?!

Igual ao filme anterior, este é do início dos anos 90. Por isso, é normal você encontrar resquício de moda oitenta também.

Página 1 de 212